Parece que a família Curie nasceu para fazer história na química. Irène Joliot-Curie, filha da célebre vencedora de dois prêmios Nobel, Marie Curie, desenvolveu, em 1934, a radiatividade artificial. Junto com seu marido, Frédéric Joliot-Curie, ela conseguiu isolar elementos radioativos de algumas substâncias. ☢️👩🏻‍🔬 Essa descoberta significou um grande avanço para a medicina nuclear, que passou a usar os radioisótopos artificiais para mapear órgãos isoladamente, como coração e lesões vasculares, além de realizar terapias para o câncer da tireoide. Irène e seu marido levaram o Nobel em 1935, aumentando a coleção dos prêmios da família Curie. Química: #365DiasComVc de geração em geração #LinhaDoTempo
📷: Wikimedia Commons